Impermeabilização

 

manejo impermeabilizacao em geral

 

Apareceu uma infiltração e não tem jeito, o espaço precisa ser impermeabilizado. Para infiltrações, por conta da demanda da chuva em lajes, fachadas ou mesmo para superfícies em áreas externas e pisos, múltiplas são as opções. Escolher entre os tipos de impermeabilização vai depender de alguns aspectos da construção e do local.

Quando o assunto é impermeabilização pode ser feita com a utilização de métodos convencionais, que podem exigir a realização de obras quando houver tráfego na área (ou ela precisar de proteção mecânica) ou, a boa notícia, sem a tradicional quebradeira.

Você deve estar ansioso, se perguntando qual das opções é a indicada para o seu tipo de estrutura – e torcendo para que seja aquela que não necessita de obras.

Fique calmo, é hora de saber os tipos de impermeabilização disponíveis no mercado, analisar aplicações, prós e contras e escolher o mais adequado para o seu espaço.

Por que é Preciso Impermeabilizar?

A primeira lição é entender a importância da impermeabilização.

Utilizados em praticamente todas as estruturas da construção, incluindo fundações e subsolo, os impermeabilizantes garantem a durabilidade da construção e, claro, evitam dores de cabeça com infiltrações, danos irreparáveis a estruturas submetidas à umidade ou mesmo a proliferação de fungos e bactérias em locais úmidos e que fazem mal à saúde.

Com o poder de proteger patrimônios, cuidar da saúde do coletivo evitando proliferação de fungos e bactérias, além de prevenir acidentes e (a melhor parte) evitar brigas intermináveis entre vizinhos sobre a responsabilidade da infiltração, você já concluiu o papel fundamental da impermeabilização para qualquer edificação: particular, comercial e até mesmo de aparato urbano (túneis, pontes e outros elementos).

Classificação dos sistemas de impermeabilização e utilização

Os tipos de impermeabilização se dividem em dois grupos: rígidos e flexíveis.

A escolha depende das condições de arcabouço e ambiente a que a superfície está submetida: teor de umidade, incidência de chuva e outras intempéries, tendência à movimentação da estrutura, etc.

Impermeabilização rígida ou flexível: Onde as soluções são comercializadas e onde podem ser utilizadas.

Os materiais rígidos são aditivos químicos que devem ser incorporados à argamassa ou ao concreto na hora da cobertura. São comercializados sob a forma de cimentos poliméricos, cristalizantes e resinas epóxis.

 

  • Indicações: Basicamente, as indicações acontecem no sentido de utilizar materiais rígidos em locais onde a mobilidade da estrutura é menor (por exemplo, abaixo da linha do solo). Fundações, pisos internos em contato com o solo, piscinas aterradas, contenções, etc.

 

Os sistemas flexíveis consistem em mantas pré-moldadas ou misturas moldadas no local, feitas de fibra flexível de poliéster. Quando secam essas estruturas funcionam como uma membrana protetora.

 

  • Indicações: Já as soluções flexíveis devem ser instaladas em locais de maior movimentação estrutural dos materiais, grande circulação de pessoas ou cargas, espaços sujeitos a rachaduras e ao sol (que causa dilatação dos materiais). Lajes, terraços, estacionamentos e pátios, reservatórios suspensos de água, cozinhas, piscinas e banheiros.

A Manejo Impermeabilização trabalha com diversos tipos de impermeabilizantes, sempre em sincronia com que há de melhor no mercado quando o assunto é impermeabilização.